Nome Científico: Phycis phycis Linnaeus, 1766

Nome Comum: Abrótea, Abrótea-da-costa

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Actinopterygii
Ordem Gadiformes
Família Phycidae
Género Phycis
Espécie P. phycis

Sinonímias: Blennius phycis, Phycis furcatus, P. limbatus, P. mediterraneus, Tinca marina

Estatuto de Conservação: LC - Pouco Preocupante

Apresenta uma cabeça de grandes dimensões munida com uma boca grande provida de dois pares de barbilhos que utiliza para procurar alimento em substrato móvel, o seu corpo tem as babatanas dorsal e ventral de grandes dimensões e uma curta barbatana caudal. A sua pigmentação é castanho escuro dorsalmente e pálida ventralmente. Podem atingir um comprimento máximo de 70 cm.

Espécie bentopelágica encontrada em fundos rochosos, arenosos e lodosos, entre os 0 e os 300m de profundidade, podendo ser encontrada ocasionalmente em profundidades maiores. Tem um comportamento nocturno, permanecendo durante o dia em locais escuros (cavernas ou debaixo de largas pedras), saindo a noite para se alimentar. Alimentam-se principalmente de pequenos peixes e secundariamente de crustáceos.

Atântico Nordeste, entre o Golfo da Biscaia e Marrocos e mar Mediterrâneo.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Parque Marinho Prof. Luiz Saldanha


Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

OMARE | Observatório Marinho de Esposende
Ficha de Phycis phycis

Autor: MVBIO