Nome Comum: Caravela-portuguesa

Nome Científico: Physalia physalis (Linnaeus, 1758)

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Cnidaria
Classe Hydrozoa
Ordem Siphonophorae
Família Physaliidae
Género Physalia
Espécie P. physalis

Sinonímias: Physalia pelagica, Physalia utriculus

Estatuto de Conservação: NE - Não Avaliado

Hidrozoário colonial flutuante, constituído por vários organismos diferentes e especializados, designados pólipos. Destaca-se o pneumatóforo, uma vesícula inflada em forma de crista (pode atingir os 30 cm), de tonalidades azuladas, rosadas ou violetas, utilizada na flutuação. Preso à base dessa estrutura surge o estolónio (que pode ir dos 30 cm a vários metros de comprimento), composto por diversos tipos de pólipos, nomeadamente: os dactilozoóides, filamentos tentaculiformes contrácteis, cobertos de células urticantes, designadas cnidócitos (responsáveis pela predação); os gastrozoóides (responsáveis pela digestão); e os gonozoóides (responsáveis pela reprodução).

Oceânico, nas zonas epipelágicas e costeiras. Vive à superfície, em mar aberto, utilizando as correntes, as marés e o vento para se deslocar, podendo surgir na linha de costa, em praias ou baías.

Distribui-se pelos oceanos Atlântico, Pacífico e Índico, sendo mais frequente nas águas quentes das regiões tropicais e sub-tropicais. Ocorre no mar português (arquipélago dos Açores incluído), assim como na zona costeira de Portugal continental de modo ocasional.




Sem ameaças a destacar.

Sem medidas a destacar.

Ligações Externas

Bardi, J. & Marques, A. (2007). Taxonomic redescription of the Portuguese man-of-war, Physalia physalis (Cnidaria, Hydrozoa, Siphonophorae, Cystonectae) from Brazil. Iheringia. Série Zoologia, 97(4), 425-433.
http://dx.doi.org/10.1590/S0073-47212007000400011

Autor: MVBIO