Nome Científico: Balistes capriscus Gmelin, 1789

Nome Comum: Peixe-porco

Classificação Científica:
Reino Animalia
Filo Chordata
Classe Actinopterygii
Ordem Tetraodontiformes
Família Balistidae
Género Balistes
Espécie B. capriscus

Sinonímias: Balistes buniva, B. carolinensis, B. forcipatus, B. fuliginosus, B. moribundus, B. powellii, B. spilotopterygius, B. taeniopterus

Estatuto de Conservação: VU - Vulnerável

Apresentam uma pele rígida e acinzentada, as suas escamas formam um padrão com tons azulados. Como coloração possuem também pequenas manchas azuis claras na metade superior do corpo e extremidades medianas, e linhas curtas irregulares no ventre. Têm uma boca pequena, olhos pequenos, mas estes encontram-se distantes da boca. Têm também uma 1ª aleta dorsal com 3 espinhos, os seu dentes são fortes e especializados para poderem perfurar a carapaça dura de certas presas. As suas escamas, na zona frontal do corpo, assemelham-se a placas, mas na zona posterior são mais suaves. As suas barbatanas peitorais são curtas e arredondadas e as suas aletas dorsais estão separadas. Têm um comprimento médio de 40 cm e um comprimento máximo de 60 cm.

Habitam em baías, portos e recifes. São predadores diurnos e alimentam-se principalmente de invertebrados bentónicos como o camarão, caranguejos, ouriços-do-mar, estrelas-do-mar, pepinos-do-mar e moluscos bivalves.Os juvenis da espécie andam à deriva com o sargaço até mais tarde afundarem. São normalmente encontrados entre os 0 e os 50 m, mas a sua distribuição vertical pode ir até aos 100m de profundidade.

Presente no Oceano Atlântico desde a Nova Escócia, Golfo do México e Mar das Caraíbas até à costa sul da Argentina. Pode ser encontrada ainda desde a costa da Irlanda, Portugal continental e ilhas, Mar Mediterrâneo e ao longo da costa oeste de África até Angola.

Onde se pode encontrar:

Parque Natural do Sudoeste Alentejano e Costa Vicentina
Parque Marinho Prof. Luiz Saldanha



Sem ameaças a destacar em território nacional embora exista uma diminuição da abundância desta espécie por sobrepesca no Golfo da Guiné, Golfo do México e Brasil.

Sem medidas a destacar em território nacional.
Regulamentação e controlo restrito da pesca nos locais onde se verifica diminuição da abundância desta espécie.

Ligações Externas

OMARE | Observatório Marinho de Esposende
Ficha do Balistes capriscus

Autor: MVBIO